terça-feira, 12 de dezembro de 2017




Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!
Filipenses 12:4

O nosso caminho é um aprendizado. A alegria é um aprendizado. Não vem de mão beijada, não depende se as coisas vão bem ou mal. Não depende de um estado. Experimentar esta alegria é aprender a conviver com todas as situações e ainda assim apresentar contentamento. 
Um caminho de conquista de alegrias e não de conquista da felicidade.
A felicidade não deve ser uma missão, mas um fruto que eu encontro dentro da minha vida, no meu caminhar diante das limitações e lutas. A felicidade cristã é contentamento.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

LIDANDO COM AS CARÊNCIAS


O nosso maior inimigo é a carência. Um problema atual que tem assolado a humanidade, e que pouco se fala nesse assunto, e muitas pessoas sofrem  desse mal, até mesmo cristãos. 
Tem o poder terrível de determinar as piores escolhas e decisões em nossas vidas, de controlar e  escravizar  a vida de muitas pessoas.
Tem uma capacidade destrutiva de se disfarçar com aquilo que nós pensamos ser bom. Por conta das carências as pessoas abandonam casamentos, filhos, ministérios e até mesmo destroem a própria vida.
Achamos que sentimentos como amor, afeto, solidão precisam ser supridos por esposo, amigos, namorados, filhos. Mas, na verdade a carência não é um sentimento  a ser suprido, a carência é uma doença na alma que precisa ser curada. É como um câncer na alma, que surge sutilmente e se alastra consumindo as poucos.
Muitas pessoas vivem como se nada precisasse ser feito, assim como tantas outras doenças que existem na alma. E não recebem em Deus a cura  para  a vida  pelo simples fato de não ter noção do quanto estão doentes.  Priorizam tudo na vida , menos o que elas precisam ter.
Podemos ver pessoas na tentativa de suprir as suas carências  que dão início a relacionamentos, casamentos, abrem igrejas, participam da vários ministérios,gravam dvds, dão inícios a tantos projetos, e buscam status e títulos, tudo na tentativa de suprirem suas carências de amor, afirmação e elogios.
Se existe algo que impede a maioria dos cristãos a experimentarem santidade, pureza, plenitude, são as suas carências, pois o carente sempre se coloca como vítima de tudo na vida, e por isso nunca é responsável por nada que acontece de errado com ele. A culpa é sempre do outro.
O carente é um doente que exige ser amado a qualquer custo. Quando um carente se aproxima das pessoas, esse relacionamento nunca é leve  ou tranquilo. Existe sempre certa tensão e cobrança.
A carência é uma ferida emocional que muitos carregam. Seria como uma fome incontrolável a ser saciada. Ás vezes  é fome de afeto, de amor, mas também pode ser fome de atenção, com o desejo de estar sempre no centro das relações, sendo valorizado, cuidado, tratado de forma especial e muitas vezes o carente usará de todas as formas  para conseguir isso.
Outra característica do carente é que ele é extremamente exigente, e muitas vezes inconsciente. Uma expectativa de que os outros o supram de alguma maneira. E muitas vezes usam da manipulação para conseguirem a atenção  e o que quer, mesmo  que de forma disfarçada.Não aceita que o outro diga "não" e que tenha amizades . O carente com o tempo acaba afastando as pessoas dele mesmo, as pessoas não suportam por muito tempo esse jogo que vivem.
O carente acaba ficando na solidão, e se isolando de si mesmo, das pessoas e de Deus. E o sentimento de solidão é uma arma terrível para o diabo destruir as nossas vidas.
Por trás de toda essa carência, existe abandono, frustração com os pais e consigo mesmo. Resumindo o carente é um acriança que não recebeu afeto, que sente abandonada com a ilusão que alguém será a resposta para tudo o que ela acha que precisa ter.
Ela sempre vai estar dizendo para si mesmo que alguém lhe deve algo. E vai estar sempre cobrando de alguém essa divida. Será sempre um mendigo emocional e espiritual que não tem nada para dar.
O carente precisa entender é que toda carência não tem que ser suprida. Toda atenção, cuidado, amor, afirmação, elogio, sentimento de pertencer não precisa e nunca será suprida por ninguém, toda esta carência precisa ser curada em Deus. 

Uma história que retrata bem as carências é  a da mulher samaritana do poço, em João 4:5-30, encontramos nessa passagem todos os elementos de uma pessoa carente. E os fatos mostram o quão carente era essa mulher. a primeira coisa que vemos é o fato dela buscar no poço a satisfação para sua sede. Sua sede representa as suas carências, e o poço  representa o lugar onde ela tenta supri-las.E a sua crise relacional entre Judeus e Samaritanos, seus vários amantes, confusão religiosa. Nenhum homem foi capaz de satisfazer suas carências, e por conta de suas carências ela sempre fazia escolhas erradas.
Todas as vezes que tentar buscar suprir suas carências com atenção, relacionamentos, sexos, vícios, e tantas outras coisas, sua sede aumenta. "Quem beber dessa água tornará a ter sede." disse Jesus.
E com as Palavras de Jesus que são água e vida, ela foi curada. Ela compreendeu os seus erros, reconhecendo-os, e aceitou o amor de Jesus. 
A mulher samaritana deixou suas carências para traz.
O texto sagrado diz que ela deixou seu balde.O balde representa o objeto que ela usava para suprir suas carências. Sempre buscamos um objeto para disfarçar e manipular nossas carências.

Não importa o que nos aconteceu, abandono, traição, traumas temos que crer e permitir que o amor de Deus nos cura de toda ferida. Temos que para de achar respostas em outras pessoas e de responsabilizá- las pelo nosso passado. Devemos pegar esta criança ferida, abandona e solitária e jogar dentro da água da vida que é o amor de Jesus.
Somente Jesus pode nos dar o colo, nos curar do medo, da solidão, do abandono, a falta de amor dos pais, das frustrações, carências e das necessidades básicas. Só Ele pode nos dar o amor que precisamos, a tenção e carinho que tantos pedimos.

"Medo, solidão, falta do amor dos pais, frustrações, carências, e necessidades, o quanto disto ainda domina a sua vida?

Por onde começar?  Enxergando a si mesmo, aceitando a confrontação da verdade, e deixar  a luz  entrar no fundo seu poço, e com coragem deixar o Espírito Santo te ajudar nesse processo. Um desafio que deve ser vencido a cada dia. Você irá amar a Deus, se amar e compartilhar amor com liberdade, e nunca mais terá sede.

Jesus disse: " Se conheceres o dom de Deus (o amor) e quem fala contigo, tu me pedirias, e eu te daria da água da vida." João 4:10



quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

O VERDADEIRO "EU"


Todo ser humano tem necessidades básicas criadas por Deus e que são essenciais ao desenvolvimento, como, o amor, aceitação, segurança, respeito, valor próprio.
Durante todo processo de crescimento, a criança recebe informações sobre si mesma, sobre Deus e de outras pessoas, bem como os seus relacionamentos com elas.Essas informações são dadas de forma direta, ou captadas intuitivamente.As crianças recebe impressões diretamente através de palavras e ações, mas também pelo que se deixa de dizer ou fazer.Geralmente é a soma de vários fatores. Estão sempre revelando mensagens, num processo lento, mas constante e bastante consciente.
Aquele que recebe mensagens negativas chega a seguinte conclusão: "Não sou aceito e nem amado do modo que eu sou, e então, passa a buscar aceitação de ser amado se tornando diferente. Ela nem se dá conta do que está se passando, não há uma reflexão que não está sendo satisfeita nas suas necessidades básicas.E é assim, que o adolescente começa a longa e tortuosa caminhada para tornar-se outra pessoa.
A tragédia disso tudo é que a individualidade daquela pessoa, a personalidade por Deus projetada para ela não tem oportunidade de desenvolver-se, seus talentos próprios não desenvolvidos, e são desviadas para criar uma imagem falsa e idealizada da pessoa. O seu verdadeiro "eu" é sufocado e rejeitado, e no lugar dele aparece um falso "eu".
E o processo de autodestruição, e não é detido quando a pessoa se converte. O perdão, a amorosa aceitação de Deus e a sua graça penetra apenas nas camadas mais externas deste "eu" irreal imprimindo um novo sentido de sinceridade. 
E quando a distorção da personalidade é mais grave e as emoções sofreram traumas fortes, é necessário haver uma cura mais profunda. Pois muitas vezes aquele falso eu passa também para a vida espiritual, e se ajusta as novas experiências religiosas.
E ainda, estendemos esse tipo de raciocínio até Deus, que é a perfeição absoluta, que exige perfeição e a quem só podemos mostrar nosso lado bom, só podemos deixar que Deus veja o nosso falso "eu", e nunca o nosso verdadeiro "eu". É assim, que se encontra no falso "eu" um perfeccionista que adquiriu uma imagem negativa a até de autodesprezo.
O mal disso, é o que o que o nosso verdadeiro "eu" fica emocionalmente preso algum dos níveis da infância, e é por isso que a nossa personalidade as vezes produz atitudes tão infantis. Ficamos parados em algum lugar, num ponto do passado, nunca crescemos realmente.
E com o corpo de um adulto, mas espiritual e emocionalmente vivemos com imaturos.
Não precisamos ter medo de enfrentar o pior, e o que há de mais terrível e doloroso em nós. Não podemos ter medo de expressar os nossos sentimentos de tristeza, dor, magoa, de solidão, dificuldades até mesmo de depressão.
A vida de Jesus é um exemplo de sinceridade no seu "eu" e expressão de sentimentos. O falso "eu" é uma ilusão da nossa imaginação, uma imagem enganosa, um ídolo.
Em Jesus, podemos ser nós mesmos, sem necessidades de compararmos com os outros. Ele quer nos curar, e nos transformar, para que o verdadeiro "eu" possa desenvolver, e então cheguemos a ser como Ele deseja que sejamos.
Quando você parar de esperdiçar suas energias espirituais  nesse esforço de manter este falso "eu" e começar a usá-los em cooperação com o Espírito Santo para o seu verdadeiro crescimento, verá que estará livre em Cristo Jesus.
Você está acima da aprovação ou desaprovação dos outros, livre da terrível sensação de condenação da lacuna existente entre o que deseja ser e o que realmente é.
Faça essa pergunta pra você mesmo, qual o meu verdadeiro eu ? Peça para o Espírito Santo te ajudar a se enxergar verdadeiramente, e preste atenção nas suas direções, para  que o seu processo aconteça levemente. Reflita na sua história e  ore, cancelando a voz do inimigo e a voz do seu coração, para ouvir somente a voz de Deus. Permita o encontro do seu "eu" e viva o que Deus te criou para ser. Você irá se surpreender com a transformação. Não desista, lembre-se sempre que  é um processo contínuo, até tudo ser claro.
Seja livre!


Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus!...


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Reconstruindo os Alicerces




"O Altar é o lugar onde nos reconciliamos com Deus, onde começamos assumir a culpa pelos nossos pecados e experimentar a redenção."

O altar simboliza a consagração a Deus.

Durante o exílio dos Judeus, ocorreram algumas mudanças históricas . Primeiro, o poderio da Babilônia foi esfacelado e arrasado diante do irresistível avanço do império persa. Depois, o clamor dos exilados entre o povo escolhido, dolorosamente castigado , chegou aos ouvidos de Deus. E Ele atende a esse clamor, levantando líderes que os guiassem de volta á terra dos seus antepassados. 
O primeiro deles foi Ciro, um rei gentio que se sentiu tocado por Deus, para proclamar um edito nos seguintes termos. Deveria ser construído em Jerusalém um templo ao Senhor e precisariam  de pessoas para a execução da tarefa. Para facilitar a empreitada, Ciro devolveu a eles os tesouros que foram roubados no templo. E foi assim que 42,360 israelitas voltaram a Jerusalém  sob a liderança de Zorobabel e vários outros. um dos mais importantes movimentos migratórios de um grupo humano já visto.
Imagine o que essa gente deve ter sentido, quando cansados e sujos da viagem, chegaram á terra dos seus ancestrais e encontraram ali um montão de ruínas. Esdras 3:1-6, narra a reunião de todos em Jerusalém , como um só homem, para o primeiro grande evento daqueles dias- edificar o altar.
Para que eles pudessem adorar a Deus teria que fazer antes os sacrifícios pelos nossos pecados  e a experimentar a redenção. Com as sua diversas ofertas, em especial a oferta voluntária, o altar simboliza a consagração a Deus.
Eles ergueram um novo altar, exatamente no lugar antigo. Este ato significava que restauravam e restabeleciam o antigo culto do qual participaram seus pais. Os exilados reconheciam que se quisessem ter sucesso na reconstrução do templo, precisariam da benção, da graça e do poder de Jeová.

E o altar não era importante só para os exilados, mas para nós também.
O " Altar" é lugar de: Confissão, sacrifício, arrependimento, perdão, expiação, aceitação, libertação, cura, proteção, sangue.

  • No momento em que recebemos a Cristo como Salvador, chegamos ao altar.
  • Contudo, isso não significa que nunca mais pecaremos. Nós pecamos, sim, mas muitas vezes deixamos de voltar ao altar. Por causa disso, os "pecadinhos"  vão se acumulando em nossas vidas, e não confessados, ocasionam separação entre nós e Deus.
  • Depois de algum tempo, já não conseguimos mais ouvir a voz do Senhor  e o nosso amor por ele começa a declinar.
E, como acontece a muitos de nós hoje, povo de Israel  aprendeu essa lição de maneira penosa.
  • O mato cresce de tal forma em volta do altar que este quase desaparece no meio dele.Para encontrá-lo de novo, precisamos utilizar um facão .
  • Para que ocorra um avivamento, primeiro é preciso que nos arrependamos , confessemos nossos pecados e voltemos ao altar.
  • Assim tornaremos a gozar de plena comunhão com Deus.
"Todos nós, cada vez que pecamos, precisaremos caminhar por aquela estradinha que nos leva ao altar."
  • Deus nos conclama a sermos santos como ele é santo- 1 Pedro 1:15 
  • e sem santidade ninguém verá ao Senhor- Hebreus 12:14
Uma vez levantado o altar, sobre a liderança de Zorobabel, os filhos de Israel edificaram o templo do Senhor- Esdras 3:7-13

O templo é o local onde adoramos a Deus, onde gozamos de comunhão com ele e uns aos outros.
  • Da mesma forma que precisamos construir um altar em nosso coração , precisamos também de um templo, uma área dedicada somente a Deus.
  • Precisamos de um "espaço" onde abandonamos tudo e entramos em sua presença para adorá-lo  e estar em silêncio diante dele. É ai que nos fortalecemos e temos nossas forças restauradas, aprofundando o relacionamento com ele.

Assim como ocorreu aos filhos de Israel , o templo tem uma importância muito grande para nós também. É lugar de: Adoração, ações de graça, comunhão, contribuição, oração, testemunho, sacramento, Deus manisfestara sua presença,gozo, santidade, poder, unção.

  • Cada um desses aspectos revela que o templo era o lugar onde os fiéis se encontravam na presença de Deus .
  • Os homens que ministravam no templo, nem sempre conseguiam se manter de pé, tão intensa era a manifestação da presença de Deus , algo que nós hoje só podemos imaginar.
  • No livro de Esdras relata na reconstrução de Jerusalém ,quando os alicerces do templo de Salomão foi concluído, o povo exultou jubilosamente. Muitos deles gritaram,alguns cantaram e ainda outros choraram Fizeram tanto barulho que seu vozerio era ouvido a distância.( Ed 3:11). Os exilados que conheceram o templo de Salomão, choravam sentidamente, ansiosos pela  presença do Senhor, da manifestação da sua graça e poder entre eles. "O templo significava a presença de Deus entre eles novamente."
  1. Como está o seu templo pessoal?
  2. Está em ruínas, precisando urgentemente de uma restauração?
  3. Será que você o negligenciou e abandonou por causa de outras ocupações, permitindo que seja depredado?
  4. Até que ponto você considera importante experimentar a presença de Deus em seu templo diariamente?
Precisamos entender que ele só aceita a obra das nossas mãos se ela for fruto de comunhão de amor com Ele. É só no templo que podemos estabelecer, cultivar, nutrir e fortalecer essa comunhão. Entretanto, é com muita facilidade que acabamos de perdendo essa prioridade de comunhão de amor com Deus.
"Nada pode roubar o seu tempo de comunhão com Deus." Nem mesmo seu ministério.
Muitas vezes podemos estar tão cheios de trabalhos, que acaba passando tempo no templo, do que aos pés do Senhor. Ministérios se transformam em ídolos. Negligenciando o altar da comunhão com Deus.
Quando negligenciado a comunhão, Ele fica "de fora", apenas assistindo tudo.
Quem negligência o templo com Deus, a comunhão íntima com Deus, corre o risco de adorar outros "deuses", de cometer erros graves e de perder em um labirinto de idolatria e religiosidade.
" Só o contato com a presença divina nos habilita a revelá-los a outros."
Podemos notar que são poucos os crentes que reconhecem que a presença de Deus é um elemento vital para suas vidas.
No livro de Salmos, Davi fala " como são felizes e bem aventurados aqueles que habitam na casa do Senhor e na sua presença." Esses desfrutam o gozo, do conforto e das forças dados por Deus, bem como tudo o que precisam para o seu trabalho.
Como aconteceu na época de Esdras, precisamos primeiro retornar arrependidos ao altar de Deus e depois ter o cuidado de não abandonar seu templo,.

" Jesus é a principal pedra angular."(1Pe 2:4-8). Precisamos fazer dessa "pedra angular" nosso altar e templo constantemente.

Enquanto não dermos ao Senhor o lugar de "prioridade" que Ele deve ocupar em nossas vidas não experimentaremos o que o Senhor tem de melhor , nem cresceremos espiritualmente.
O Senhor quer reconstruir seus muros, que pode ser edificado com toda segurança, perfeitamente vertical. Alinhado pela justiça e aferido pelo prumo divino.


Aplicação Prática

  • Como tem sido aplicados em sua vida o papel e a função do altar?
  • Como você pode melhorar sua comunhão íntima com Deus?
  • Faça um planejamento nesse sentido.
  • Medite sobre os alicerces da sua fé.





 Adaptação:Do livro- Paredes do Meu Coração
 Dr. Bruce Thompson e Barbara Thompson